Wednesday, September 11, 2013

Poema de Miguel Anjel Alba

Hoy, habíto la calle...
No es la primera vez que lo hago
Ni tampoco creo que sea la última.
No es tan malo pasar la noche en vela,
en calles desconocidas donde parece
Sólo suelen rondar mosquitos de afiladas trampas
y molestos serpenteos.
No, no es tan malo como parece,
aunque estos de a poco succionen mi piel
y me impidan estar quieto.
No es tan malo vigilar que de noche,
entre el aire estancado, el tempo
plasme su recorrido sin afanes,
no, no es tan malo como parece.
No hay razón para lamentarse de algo
cuando las causas de dicho evento
son intenciones de si mesmo, conscientes e inconscientes.
No hay derecho de escribir al revez
esta situación que no acongoja
pero que se vuelve extenuante.
No hay revez que brinde algún derecho.
De todas formas, no puedo evitar el miedo
que congela mi pecho aún en calorosos escenarios
y lo que no logro saber es el motivo de ese miedo,
la cura que lo mece con tanto amor.



Versão em Português (Valdeck Almeida de Jesus)

Hoje dormi na rua ...
Não é a primeira vez
Nem acredito que seja a última.
Não é tão ruim passar a noite acordado,
em ruas desconhecidas, onde parece
que só circulam mosquito de garras afiadas
e voos irritantes.
Não, não é tão ruim quanto parece,
embora eles, pouco a pouco, piquem minha pele
e atrapalhem meu sossego.
Não é tão ruim perceber que de noite
o vento estagnado pelo tempo
circule sem notar minha presença,
não, não é tão ruim quanto parece.
Não há razão para reclamar de nada
pois as causas disso tudo
são intencionais em si mesmas, consciente e inconsciente.
Não tenho direito de florear
esta situação que me aflige
mas tudo isto é muito cansativo.
Não me acostumo a esta situação tão incômoda.
De qualquer forma, não posso fugir do medo
Que congela meu peito,
ainda que eu esteja numa cidade tão acolhedora,
não sei identificar a razão desse medo de estar na rua
no meio de uma cidade que me abraça tão amorosamente.


Miguel Anjel Alba

Você já leu Memorial do Inferno, de Valdeck Almeida de Jesus?

Followers

About Me

My photo

VALDECK ALMEIDA DE JESUS nasceu em Jequié, Bahia, em 1966. Jornalista, trabalha, atualmente, como funcionário público, editor de livros e palestrante. Publicou os livros Memorial do Inferno: a saga da família Almeida no Jardim do Éden, Feitiço contra o feiticeiro, Valdeck é Prosa e Vanise é Poesia, 30 Anos de Poesia, Heartache Poems, dentre outros. Participa de mais de 30 antologias. É organizador e patrocinador do Prêmio Literário Valdeck Almeida de Jesus de Poesia, desde 2005. Expõe seus textos no site www.galinhapulando.com

Contato com o autor: poeta.baiano@gmail.com

Minhas Músicas


MusicPlaylistRingtones
Create a playlist at MixPod.com